Cover-Site-Eleicoes

Projeto de Lei de Yabiku inclui Sino da Paz no Calendário Oficial de Eventos da Cidade

No dia 9 de julho de 2020, dia em que celebramos a Paz Mundial ouvindo o badalar do Sino da Paz Celestial, o vereador Luis Yabiku (PSB) apresentou um projeto de lei na Câmara de Campinas que inclui a solenidade no calendário oficial de eventos da cidade. A proposta deve dar um caráter oficial ao evento que já acontece há quase 30 anos em Campinas.
Representando o presidente da Câmara de Campinas, Marcos Bernardelli, o vereador Luis Yabiku participou da 29ª edição da Cerimônia do Sino da Paz Celestial na cidade. Nessa mesma data, em 1945, a cidade japonesa de Gifu, cidade-irmã de Campinas, foi bombardeada por tropas Aliadas, no fim da Segunda Guerra Mundial. O toque do sino simboliza a importância da paz entre os povos.

Trauma da guerra

Em seu pronunciamento, Luis Yabiku contou as recordações tristes que sua avó fazia do tempo em que ela morava em Okinawa (província do Japão) durante a Segunda Guerra Mundial. “Quando eu perguntava coisas daquela época, ela chorava e mal conseguia falar, tamanho é o sofrimento que ainda sentia toda a vez que recordava aqueles horrores”, conta Yabiku.

Projeto de lei

A ideia de apresentar um projeto de lei que inclui este evento no calendário oficial da cidade, é uma forma de eternizar e dar um caráter oficial a esta importante cerimônia, dado o seu caráter pedagógico, histórico e de alerta para que as futuras gerações não cometam os erros do passado, que produziram as maiores tragédias que a humanidade já viu e sofreu.

Yabiku vê com preocupação a volta de fantasmas do passado, como o nazismo, teoria da supremacia racial e outras barbáries. “Nesses últimos anos, percebi que essa onda negacionista, que leva pessoas a afirmar que genocídios, como o holocausto por exemplo, nunca aconteceram, vem aumentando e isto é um perigo porque flerta com a desgraça. E definitivamente não queremos passar novamente por isso”, alerta Yabiku.
Solenidade do Sino da Paz

A cerimônia desta quinta-feira foi diferente das últimas edições, que contaram com a presença de público e apresentações artísticas da comunidade japonesa em Campinas. Por conta das recomendações de distanciamento social em razão da pandemia de Covid-19, o evento ocorreu sem público e de maneira simples e rápida.
Os participantes seguiram os protocolos de higienização das mãos com álcool em gel e usaram máscaras. O evento é realizado numa parceria da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Social e de Turismo com o Instituto Cultural Nipo-Brasileiro de Campinas.

Além de Yabiku, participaram do evento o vice-prefeito Henrique Magalhães Teixeira; o presidente do Instituto Cultural Nipo-Brasileiro de Campinas, Tadayoshi Hanada; Mina Matino, representante da prefeitura de Gifu em Campinas; e o assessor Hemerson Gabriel Silva, representando o Departamento de Cooperação Internacional, da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Social e de Turismo.

A celebração acontece em Campinas desde 1990. Todos os anos, o Sino da Paz é tocado no espaço externo do Paço Municipal, onde está instalado desde que foi transferido do Nipo, em 2004. O sino foi oferecido em doação pelo monge Yasugiro (Anjo) Nakabayashi. Sempre no dia 9 de julho, um sino é tocado em cerca de 300 cidades em diferentes locais do mundo para relembrar o bombardeio e a necessidade de manter a paz.

Cidade-irmã

Campinas tornou-se oficialmente cidade irmã de Gifu em 1982. No ano passado, cerimônia do Sino da Paz Celestial em Campinas contou com a presença do prefeito de Gifu, Masanao Shibahashi. Na ocasião, ele assinou com o prefeito Jonas Donizette um memorando de entendimento que prevê a troca mútua de informações entre os dois municípios em áreas como transporte, urbanismo, esporte e a paz mundial.

Em junho deste ano, num gesto de solidariedade, a prefeitura de Gifu doou cinco mil máscaras de proteção e duas mil luvas cirúrgicas a Campinas como ajuda para o trabalho de combate à pandemia do coronavírus.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *